Rota das Emoções

Viagem para desbravar o Maranhão, Piauí e Ceará, que passa por destinos tão diferentes quanto os Lençóis Maranhenses, o Rio Preguiças, o Delta do Parnaíba e Jericoacoara (foto). Uma região ainda pouco explorada pelos brasileiros, mas rica em natureza e diversidade.
 
Com saídas de São Luís do Maranhão, a Rota das Emoções é perfeita para amantes da natureza que buscam paisagens diversas e distâncias curtas. O pacote inclui cinco noites de hospedagem e traslados da capital maranhense à Barreirinhas, Parnaíba e Jericoacoara, além de passeios de lancha, buggy e jardineira.
O pacote inclui passeio de 4X4 pelas dunas dos Lençóis Maranhenses, lancha voadeira pelo Rio Preguiças, e também de lancha, até o Delta do Parnaíba, praias de Tatajuba, Mangue Seco e Guriú.
 
 
Publicado na edição 210 - junho/2017

Passeio no Grande Cáucaso

A Geórgia, localizada na região conhecida como o Grande Cáucaso, revela uma incrível herança histórica e cultural, além de fascinantes paisagens naturais. O roteiro, de 21 a 27 de julho, passa por Tbilisi, Kazbegi (na foto, a Igreja da Trindade Gergeti) e Signagi. Entre os destaques os monastérios e conventos georgianos; visita ao Convento de Bodle, um dos principais centros de peregrinação da Igreja Georgiana Ortodoxa; as famosas casas de banho de enxofre de Tbilisi, e aulas de culinária georgiana. É possível prolongar a viagem para Azerbaijão e Armênia.
 
 
Publicado na edição 209 - maio/2017

Noite com 2 mil velas

Oásis de preciosidades no turbulento Oriente Médio, a Jordânia convida a viver experiências únicas. Lá será possível visitar Petra, a cidade perdida esculpida pelos Nabateus, com seu sítio arqueológico que esconde templos e impressionantes desfiladeiros (inclusive uma inesquecível visita noturna iluminada por cerca de duas mil velas ao longo do caminho, criando uma atmosfera de beleza ímpar). Depois, mergulhar em tratamentos de beleza nos sofisticados spas do Mar Morto. Sem contar as visitas ao Muro das Lamentações, Via Dolorosa, o Santo Sepulcro, o Cardo, e muito outros pontos em uma das cidades mais antigas do mundo, Jerusalém. O roteiro tem uma noite em Amã, duas em Petra, duas no Mar Morto e três em Jerusalém. O pacote inclui: café da manhã diário, visita noturna a Petra (somente às segundas, quartas e quintas), entradas para monumentos e sítios arqueológicos, assistência de motorista/guia especializado nos passeios, em idioma espanhol ou português e traslados e passeios privativos. Valor: a partir de US$ 5.280 por pessoa em quarto duplo.
 
 
Publicado na edição 208 - abril/2017

Vinícolas para visitar

Quem que não gosta de vinho que não deseja conhecer vinícolas e fazer degustação de seus vinhos? Pois sommeliers, a pedido do Sonoma (www.sonoma.com.br) indicam roteiros de enoturismo para conhecer a história, cultura, tradições, experimentar a culinária típica e desfrutar de vinícolas que investem em atrações para os turistas.
 
ESPANHA, POR JÔ BARROS
 
O Sul da Espanha é encantador, em especial a região de Andaluzia que abriga a cidade de Jerez de La Frontera e seus vinhos fortificados, que fazem qualquer um meditar quando se prova um vinho como esses. Em qualquer uma das vinícolas, eu indico que aprecie uma boa taça de Jerez, veja um espetáculo de flamenco, dança típica da região, acompanhado de um bom “tapeo” (tapas espanholas). Vale a pena provar a rabada, ou como eles falam por lá “cola de toro”.
Dicas das vinícolas: Bodegas Tradición (foto), El Maestro Sierra, La Guita/HRPM e La Bota de Vino.
 
ESTADOS UNIDOS, POR ALYKHAN KARIM
 
Freemark Abbey (foto), em Santa Helena, na Califórnia, foi a primeira vinícola de Napa que teve uma mulher como dona. Existe há 50 anos e tem a maior seleção de Napa Cabo de toda a região. Apesar de ter muitos vinhos caros, há seleções bem interessantes e mais baratas. Cheguei a experimentar um vinho de Porto feito com a uva Zinfandel que custava US$ 25 direto na vinícola.
Kendall Jackson é a maior propriedade da maior família de viticultura dos Estados Unidos. Os vinhos são excelentes e vale a experiência de harmonizações no almoço: sete pratos pequenos, super criativos, desde gaspacho com caviar de lake trout e tarragaon até um pequeno banh mi (sanduíche vietnamita) feito com barriga de porco, puré de amora e um toque de pimenta asiática.
 
BRASIL, POR SONIA DENICOL
 
Muitas pessoas que gostam de vinho costumam buscar destinos internacionais para suas viagens enoturísticas. Mas há um lugar fascinante no Brasil: o Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha. São muitas as vinícolas a visitar, para todos os gostos.
A maior vinícola brasileira está no Vale, a Miolo, com capacidade de produção para mais de 15 milhões de litros/ano. Visita para conhecer todos os processos e tecnologias utilizadas para a produção de vinhos em grande escala. 
Casa Valduga é uma visita imperdível. A vinícola conta com uma pousada e dois restaurantes, que juntos formam a Vila Valduga, um lugar encantador e acolhedor. A hospedagem é uma oportunidade para conhecer a cultura da região através de seus vinhos, da comida típica e da calorosa hospitalidade do gaúcho.
Há muitas opções ao longo do Vale e algumas são paradas obrigatórias como Angheben, Dom Candido, Larentis, Lídio Carraro, Pizzato e Vallontano. 
 
Publicado na edição 209 - maio/2017

A mesma cidade, outros destinos

Marina Oliveira, diretora de Jornalismo da Brigadeiro Comunicação, com foto
 
Não importa quantas vezes vá a Buenos Aires, a cada visita descobrirá algo novo. Se gosta de “turistar”, faça os passeios clássicos. Se seu estilo é de viajante que foge dos roteiros tradicionais, há uma infinidade de opções do que fazer na capital argentina. 
 
Escolha um bairro para se perder. Caminhe pelas ruas, observe a arquitetura local, o comércio, o trânsito, as pessoas e as intervenções urbanas. Para se sentir nativo, use o transporte público, pois é uma rica experiência social. 
 
Na Avenida Corrientes, a Broadway argentina, estão as badaladas salas de espetáculos. Ali você também encontra o Paseo La Plaza, uma charmosa galeria com restaurantes, bares, lojas e salas de teatro. Escolha um cinema fora do circuito dos shoppings.  
 
Descubra uma banda da cidade e vá ao show. Há diversos espaços de apresentações de músicos locais, festas e eventos artísticos por toda parte. Comece pelo Centro Cultural Recoleta, uma joia no coração da cidade. 
 
Jante no La Dorita. Nos restaurantes onde há velhinhos tenha certeza - o sabor será riquíssimo. Se quiser uma vista que chega a tocar o Uruguai, vá ao Zirkel. Aperitivos e boas cervejas: Palermo. Para se sentir na Buenos Aires do século passado: El Hipopotamo. Se o negócio é ostentação, Puerto Madero.
 
Converse com os argentinos, aproveite a hospitalidade. Esqueça o que ouviu sobre rivalidade até porque você será lembrado dos 7x1. Use sua bagagem de cinco títulos mundiais e brinde nossas conquistas com um Fernet, tradicional licor.  
 
Para não cair em furadas pesquise. No Portal Aires Buenos, por exemplo, você encontra milhares de informações e consegue compreender como os argentinos levam a vida - com buena onda! 
 
Sugestões
Para comer: La Dorita – Humboldt 1892, Palermo.
 
Para passear: Bairros Colegiales, Nuñez e Belgrano.
 
Para curtir: Palermo a partir do final da tarde.
 
Para autoconhecimento: La Abadia - localizada na antiga Abadia de San Benito, é lugar de oração, estudo e palco de exposições e oficinas sobre a cultura da América Latina. Calle Gorostiaga, 1908. http://laabadia.org/ 
 
Para desfrutar: Centro Cultural Recoleta. Centro de exposições e local de apresentação do Grupo Fuerza Bruta.
Calle Junín 1930, Recoleta. www.centroculturalrecoleta.org/ 
 
Para ampliar horizontes: cinema, teatro e livrarias.  
 
Para se informar: www.airesbuenosblog.com
 
Publicado na edição 208 - abril/2017